sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Valeu Ibitipoca

 E aí moçada!

Gente, final do ano passado tive a oportunidade de conhecer, junto com a minha namorada e família dela, o Parque Estadual de Ibitipoca, aqui em Minas Gerais!

Sabe aquele clima de montanha, muita água, cachoeira, paredões, frio e lareira? Ibitipoca tem isso tudo e um pouco mais. Foi a primeira Unidade de Conservação organizada e próxima de alcançar um modelo correto de conservação de espécies.

Pra chegar lá, saímos aqui de São João del Rei as 6 da manhã e fomos para Juíz de Fora, onde esperamos uma hora mais ou menos e depois fomos para uma cidadezinha chamada Lima Duarte. De Lima Duarte, partiríamos para uma vila que se chama Conceição do Ibitipoca (que é uma vila linda por sinal), mas o ônibus que faz esse percurso só vai duas vezes por dia, então tivemos que esperar um tempo em Lima Duarte. Aproveitamos para conhecer a biblioteca da cidade, as irmãs que se reencontrariam na viagem aproveitaram para fazer isso e também para fazer um pouco de música enquanto o tempo passava.

O ônibus chegou por volta de 16:00hs e partimos para uma viagem breve, cerca de uma hora subindo a montanha! Num dado momento passamos por uma vilazinha realmente mínuscula (tipo um bar beira de estrada e duas casas) e eu pensei que iríamos nos hospedar ali. Já estava no espírito "uhuu, viva a natureza totalmente selvagem", mas aí o ônibus seguiu a viagem e percebi que estávamos indo para um lugar um pouco melhor. Chegamos em Conceição do Ibitipoca. Uma vila, no alto da montanha, com casas bonitas, algumas lojas de produtos locais, pizzaria, restaurantes, padaria, supermercado e centro de visitantes. Alugamos uns chalézinhos, que nos deram bastante conforto durante os dias que estivemos por lá: lareira, cama boa, rede, vista pra montanha...

No dia seguinte conhecemos o Parque Estadual. O Parque cobra uma entrada de cinco reais, a visitação não exige presença de guia, as trilhas são auto guiadas e bem sinalizadas. O Parque tem uma portaria com centro de visitantes com loja e museu. O Museu é super bem estruturado, com maquete do parque, várias fotos e uma exposição com informações da fauna local. Existem dois roteiros básicos para se fazer dentro do Parque Estadual de Ibitipoca (como na Chapada dos Veadeiros) - o circuito das águas e o circuito da Janela do Céu. 

O primeiro roteiro que fizemos dentro do Parque, incluiu um circuito de mais ou menos 5 km com cachoeiras, muita água corrente e limpa, paredões animais (com direito inclusive a uma ponte de pedra, uma espécie de anel que o rio perfurou na rocha), prainhas e um cerrado de altitude cheio de plantas endêmicas. Vale a pena conhecer a cacheoira dos macacos, lago dos elfos e os demais atrativos desse roteiro.

O segundo roteiro é um pouco mais puxado, uma trilha com uns 7 km de ida e 7 de volta.  Mas compensa muito! A trilha da Janela do Céu oferece uma vista espetacular o tempo inteiro, com visão de 360 º, céu, terra com florestas e paredões e horizontes, tudo numa mesma trilha. Aí depois de caminhar, estudar plantas endêmicas, a gente passa por uma cachoeira "secreta", a cachoeirinha, linda, saída de um conto de fadas e vamos descendo pelo rio até chegar na maravilhosa janela! Um mirante para um abismo de 150 mts de altura. Estávamos em cima de uma cachoeira imensa, observando a paisagem lá em baixo através de uma fenda, ou "janela" na montanha.

O parque oferece ainda um passeio da Janela do Céu por baixo. É um passeio um pouco mais elaborado, os moradores alugam carros 4x4 para isso.

O Parque Estadual é administrado pelo IEF - o Instituto Estadual de Florestas, aqui de Minas Gerais. O Parque fecha nas segundas-feiras e nos finais de semana a entrada fica mais cara, sobe para quinze reais.  Eu achei tudo muito legal, muito organizado, limpo, a natureza está bem conservada lá. Mas parece que a região está num limite, entre área conservada e impactada (áreas que já não servem mais nem para preservação de espécies e nem para o ecoturismo). Conversamos com os moradores locais. Depois de ter ficado uns três dias sem ter acesso a nenhum caixa eletrônico ( e saí de lá sem ter) os moradores nos contaram que havia uma politicagem que envolvia o vilarejo de Conceição de Ibitipoca que fica abandonado, impedido de receber mais recursos como um banco ou escola por causa de más influências políticas. Outros dois pontos negativos são os seguintes: a capacidade de carga (para visitação do Parque), que está super mal elaborada. Vejam lá no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros que é uma Unidade de Conservação bem maior, considerado um hotspot (área de extrema importancia de conservação) suporta no máximo 300 pessoas por vez dentro do Parque Nacional. Ibitipoca também é uma região com ecossistemas extremamente delicados e que demandam conservação: observei várias espécies endêmicas e lá existe uma grande quantidade de anuros raros e muitas plantas bacanas. Mas os caras que administram o Parque, pelo que nos contaram, deixam 800 pessoas entrarem por vez dentro do Parque!! É um número absurdo, que com certeza causa impacto ambiental!

Saímos do Parque com a sensação de que estávamos numa espécie de limite. Pegamos o final do espírito legal e com natureza ainda conservada do local, pois pelo ritmo que está, com essa capacidade de carga da unidade de conservação estourada dessa maneira e com um lugar sem estrutura e querendo trabalhar com um turismo de massa (que geralmente causa os piores impactos ambientais), sentimos de fato que pegamos o final de um lugar bacana!

Mas mesmo assim foi ótimo! Vejam algumas fotos
























Nenhum comentário:

Postar um comentário