quinta-feira, 8 de março de 2012

FILO MOLLUSCA

Bom, seres de corpo mole com alguns caracteres em comum e muitas curiosidades a serem exploradas. São protôstomios (celomados, sem notocorda muito menos coluna, clivagem espiral do blastóporo), mas além disso se agrupam nesse filo por possuírem em comum características que foram descritas em um ancestral hipotético. Esse ancestral nunca foi visto por ninguém, não há evidência fóssil escavada por nenhum paleontólogo, mas é um modelo utilizado por razões didáticas por demonstrar os caracteres comuns à todo o grupo. Dentre essas características comuns está, por exemplo:

Rádula - É uma espécie de anel dentado na cavidade bucal dos moluscos. Há um esqueminha que envolve uma musculatura inferior a esse órgão, que protai e retrai e  anel dentado de forma a buscar e triturar o alimento.

Odontóforo - Estrutura cartilaginosa que sustenta a rádula e acompanha o movimento de entrar e sair da cavidade bucal do molusco.

Músculos Protatores e Retratores do Odontóforo - Ficam por baixo do odontóforo e dão a movimentação ao esquema. (Pra frente e pra trás).

Manto - Tecido que recobre o corpo do molusco. A partir do filo Monoplacophora secreta a concha.

Cavidade do Manto - É uma depressão na bundinha do molusco (do Molusco Ancestral, nos moluscos viventes atualmente, com a torção, a cavidade do manto passou a ser anterior.) por baixo do manto, onde se situam alguma estruturas importantes, como as branquias por exemplo.

Pé Longitudinal Ventral - Todo mundo do grupo tem. Um pézão ao longo de todo o corpo, que permite a movimentação do bicho.

Os bichos tem uma circulação semi-aberta. (Não é tão fechada quanto nos outros grupos animais, mas é divida em regiões superior e inferior.), possuem dois nervos principais, um pedal e um visceral, e excreção por pequenos canais chamados nefrídeos e brânquias modificadas chamadas ctenídeos.

É errada a idéia de que os moluscos maiores e mais derivados evoluíram daqueles que são mais simples. O que existem são vários grupos que se diversificaram em diferentes momentos evolutivos, alguns grupos apresentando características mais pobres e outros mais complexas. Não encontrei na net o cladograma do grupo, o que tornaria mais clara a explicação, mas vou dar uma explanada rápida nas principais classes desse filo, da mais simples para a mais complexa.

SUPER CLASSE DOS APLACOPHOROS.

É toda a galera molusca que não tem conchas, que não secretam conchas dos mantos.



CLASSE CAUDOFOVEATA - São uns moluscos meio nada a ver, são vermiformes, bentônicos (fundo de mares), se parecem com Schistosoma (Mas não são, não vamos confundir!) pois têm dimorfismo sexual (Macho de um jeito, femea de outro). Possuem uma cavidade pedal, vivem enterrados no substrato aquático. Possuem a aparelhagem interna muito semelhante aos outros moluscos, ou seja, também têm rádula, odontóforo, ctenídeo, nefrídeos, manto e tudo mais.




CLASSE SOLENOGASTER. Outro grupo de moluscos estranhos. Algumas espécies parecem uma linguiça, não tem concha mas são recobertos por espículas calcárias secretadas pelo manto. Dependendo da espécie, as cutículas podem se entrelaçar e formar uma proteção ou mesmo um exoesqueleto. Possuem um órgão sensorial denominado vestíbulo. Argh.... Eles comem cnidários, sugando seus fluídos corporais ou comendo os tecidos. Eles não utilizam a rádula para capturar presas, como fazem os outros moluscos.  Muitas espécies já estão extintas.


CLASSE MONOPLACOPHORA - Galera, esse grupo era considerado totalmente extinto até o ano de 1952. Como eles vivem entre 5.000 e 7.000 metros de profundidade no mar, até esse ano existiam somente registros fósseis do Devoniano e do Permiano. Eles já haviam, na verdade, sido capturados em 1896, espécie Verolipilinia zografi, só que na época foram considerados arqueogastrópodos. Mas em 1983, 87 anos após a captura, foram realocados entre os monoplacophora. Em 1952, um biólogo chamado Danish Lenche, capturou alguns espécimes em águas profundas da Costa Rica. Essa espécie foi batizada de Neopilinia galatheae. Danish declarou que essa descoberta foi uma das maiores sensações do século! E é verdade. Em 2008 já haviam descrito mais 31 espécies dessa classe, todas habitantes de águas profundas.



CLASSE POLIPLACOPHORA - É uma classe com indivíduos um pouco mais elaborados, que secretam uma concha com características metaméricas. Essa questão da metameria é uma discussão "quente" no campo da Evolução dos Moluscos, porque apesar de ter características metaméricas (conchas segmentadas e organizadas em oito placas, pés ventrais que acompanham a segmentação das placas, larva trofária com segmentações...), não são considerados seres metaméricos. Alguns evolucionistas consideram que a metameria é uma característica que surge a partir dos anelídeos. Mas é fato que a metameria está presente nesses dois grupos (Monoplacophora e Poplyplacophora) e misteriosamente não está nos grupos mais complexos. A perda de caracteres também pode ser vantagem evolutiva, mas qual seria a razão dessa perda? Os ´Polyplacophora são popularmente chamados de Quítons. E algumas espécies são psicodélicas pra caramba, vejam isso:








CLASSE GASTRÓPODE -  Os gastrópodes têm estomâgos nos pés, é o grupo mais bem sucedido atualmente dentro de Mollusca, abrangendo os caramujos, caracóis, lesmas, bem como um grande número de formas marinhas e de água doce. Eles sofreram um processo evolutivo de torção da concha e também dos órgãos internos, mas ainda não entramos nisso em aula então trarei mais curiosidades em breve. Abaixo algumas fotos de gastrópodes curiosos. (Eu sou apaixonado pela diversidade de espécies, deleitem-se com as imagens abaixo:)












CLASSE CEPHALOPODA -  A classe cefalópode é a classe a que pertencem as lulas, polvos e chocos. São invertebrados inteligentes e rápidos. Desenvolveram um sistema de propulsão e células que mudam a pigmentação da pele, a título de camuflagem e comunicação. Os estatocistos são os órgãos do equílíbrio.  Abaixo imagens interessantes:










Nenhum comentário:

Postar um comentário