segunda-feira, 29 de novembro de 2010

ECOLOGIA DE COMUNIDADES - O retorno.

video
Pra deixar comunitário, como diz o Prof. Fernando!

CAROS! Antes de tudo só quero corrigir uma bobagem que eu falo no vídeo!

HOTSPOT é uma área identificada como portadora de uma biodiversidade alta! São áreas extremamente delicadas e que demandam conservação. Existem 25 apenas no mundo todo e esses 25 hotspots abrigam cerca de 64% de toda a biodiversidade planetária.

Me parece que a prova é nessa semana e o assunto é Padrão de distribuição e riqueza em espécies.

Tem a ver biodiversidade!

Mas não é a biodiversidade que ouvimos falar nos meios de comunicação a toda hora. Essa biodiversidade se refere mais à quantidade de espécies e indíviduos que existe em determinado ambiente. E pode ser chamada também de riqueza em espécies.

Eu estou descobrindo um autor agora chamado Begon, ele é um papa aí da Ecologia e pra ele a biodiversidade deve ser analisada a partir de um enfoque que contemple tantos os fatores bióticos quanto abióticos. Como assim? Segundo a linha de raciocínio do Begon a biodiversidade é mais do que o número de espécies que vivem numa certa área, é a interação entre essas espécies e o meio. É também o conjunto das interações que as espécies vivem e como essas interações, com o meio e com outras espécies, leva a processos evolutivos!

É complexo pra caramba, tem vários modelos matemáticos, mas resumidamente, o Begon fala por exemplo de gradientes de distribuição da riqueza em espécies cresce conforme se aproxima dos trópicos, a riqueza em espécies é sempre maior nos trópicos. Isso por conta de vários fatores: os trópicos são mais expostos  à luz do sol, o que gera uma produtividade bruta (plantas) maior e uma maior diversidade vegetal leva consequentemente a uma maior diversidade animal.

Um outro estudo interessante que o Begon propõe e que vai cair na minha prova é a comparação dos nichos em que as espécies vivem e da sobreposição desses nichos. O nicho, para os leigos em ecologia, é como se fosse... "o emprego" de uma espécie, enquanto o hábitat seria o endereço. O nicho está relacionado com hábitos alimentares da espécie, ou hábitos reprodutivos, ou ainda papel ecológico no ecossistema. Alguns autores gostam de definir o nicho como sendo hipervolumétrico, ou seja como uma representação com várias dimensões (uma dimensão seria o hábito alimentar, a outra o papel na cadeia alimentar e assim por diante). Se levarmos em consideração que numa dada área haverá uma quantidade específica de recursos, teremos que considerar também, que os tamanhos populacionais e, com o tempo, (NÃO NOS ESQUEÇAMOS DA ESCALA), a própria riqueza em espécies (ou biodiversidade) dessa área, flutuará de acordo com a disponibilidade desses recursos.

A natureza é muito sábia e apresenta em diversos processos, um princípio econômico. Por exemplo, segundo esse estudo do Begon o número de espécies ou a riqueza em espécies aumenta conforme os nichos se sobreponham. Mas o que significa isso? A sobreposição de nichos, ocorre quando certos hábitos se misturam, ou se distinguem. Exemplo, espécies generalistas e especialistas. Quando existem espécies especialistas, significa que essas espécies utilizaram apenas uma parte dos recursos disponíveis, uma vez que ela é especialista e se alimenta apenas de determinado alimento específico. Com esse tipo de sobreposição há sobra dos recursos e maior probabilidade de novas espécies se instalando nessa comunidade!

Uma outra coisa interessante é o modo como as espécies se distribuem nas ilhas. As ilhas são bem especiais, elas não seguem os mesmos padrões que o continente, porque é um pequeno espaço de terra cercado por água e esse tanto de água dificulta o fluxo gênico e logo começam a acontecer padrões de distribuição diferentes, endêmicos da própria ilha. Geralmente novas espécies se formam e as vezes o que é comum em um lugar se torna raro na ilha. Achei bacana um comentário do Begon, de que esse racíocínio da ilha se aplica a vários outros tipos de "ilhas", por exemplo, uma árvore muito alta em um mar de árvores (pode existir toda uma comunidade ecológica instalada em um único topo de árvore), ou o topo de uma montanha,, que tem altitude e clima diferente do restante da montanha e consequentemente um outro padrão de distribuição das espécies!

Valeu galera, foi pra só pra esquentar pra prova!

2 comentários:

  1. WOW!
    Netinho como vc escreve legal hein?
    Agora até eu conheço o Begon!
    E essa história de "ilhas"... caramba!
    Olha aí o desmatamento e a proliferação de serzinhos que não deveriam vir para as cidades!!!

    Adorei o up no blog.

    bjs mil
    Telma

    ResponderExcluir
  2. De nada Telma e que bom que você gostou da música, mas ainda tenho que estudar muito! Olha, nunca ouvi falar que insetos com luminescência fizessem algum tipo de mal, estou estudando uma porção de insetos que carregam protozoários parasitas que fazem o maior estrago em seres humanos, então não recomendo a ninguém pegar os insetos diretamente com a mão, acho que o ideal é ficar só na observação. Valeu abraços e seu blog está muito interessante. Obrigado

    ResponderExcluir